Blog dedicado ao estudo de Apocalipse 14:6 a 12.

terça-feira, 6 de junho de 2017

A estrutura singular de Apocalipse 17

A visão de João em Apocalipse 17 é uma das mais fascinantes do último livro da Bíblia e de extraordinário valor para a igreja de Deus! Ela pinta em cores muito vivas o panorama das condições político-religiosas prevalecentes nos últimos tempos, pouco antes do retorno de nosso Senhor Jesus.

Mais do que isto, ao descrever os lances dramáticos que terão lugar nesse tempo, a profecia antevê o livramento final do povo de Deus em virtude de sua fidelidade ao Senhor, não obstante as forças conjuntas, instigadas por Satanás, que se levantarão contra eles.


Como se trata de uma profecia ainda não cumprida, prover uma interpretação que contemple todos os seus pormenores é uma tarefa difícil, senão impossível, e certamente seria insensato de nossa parte especular sobre os aspectos que ainda aguardam sua plena realização.

Afinal, as profecias não nos foram legadas com este fim, mas para fortalecer nossa fé na garantia da revelação de Cristo, à medida que elas se tornam uma realidade histórica irrevogável (João 14:29).

Contudo, é perfeitamente possível discernir em Apocalipse 17 o quadro geral que aí se apresenta, a natureza do último grande conflito e seus protagonistas.

Para facilitar a compreensão do leitor, pareceu-me mais razoável examinar esta formidável visão em etapas, sem prejuízo de seu conteúdo, de maneira a evitar um texto demasiadamente longo, no caso de um único artigo.

Nesta oportunidade, vamos considerar como Apocalipse 17 foi estruturado.

A divisão de Apocalipse 17

O foco da visão de João em Apocalipse 17 é o julgamento da grande meretriz, vista montada numa besta. O capítulo divide-se em três partes:

  1. Introdução à visão (versos 1 e 2).
  2. A visão (versos 3 a 6).
  3. A explicação da visão (versos 7 a 18).

A fim de melhor visualizar esse arranjo, transcrevemos abaixo o capítulo com as indicações de suas respectivas partes:


A descrição da grande meretriz

[INTRODUÇÃO À VISÃO]

1 Veio um dos sete anjos que têm as sete taças e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei o julgamento da grande meretriz que se acha sentada sobre muitas águas,
2 com quem se prostituíram os reis da terra; e, com o vinho de sua devassidão, foi que se embebedaram os que habitam na terra.

[A VISÃO]

3 Transportou-me o anjo, em espírito, a um deserto e vi uma mulher montada numa besta escarlate, besta repleta de nomes de blasfêmia, com sete cabeças e dez chifres.
4 Achava-se a mulher vestida de púrpura e de escarlata, adornada de ouro, de pedras preciosas e de pérolas, tendo na mão um cálice de ouro trasbordante de abominações e com as imundícias da sua prostituição.
5 Na sua fronte, achava-se escrito um nome, um mistério: Babilônia, A Grande, A Mãe Das Meretrizes E das Abominações da Terra.
6 Então, vi a mulher embriagada com o sangue dos santos e com o sangue das testemunhas de Jesus; e, quando a vi, admirei-me com grande espanto.

[A EXPLICAÇÃO DA VISÃO]

7 O anjo, porém, me disse: Por que te admiraste? Dir-te-ei o mistério da mulher e da besta que tem as sete cabeças e os dez chifres e que leva a mulher:
8 a besta que viste, era e não é, está para emergir do abismo e caminha para a destruição. E aqueles que habitam sobre a terra, cujos nomes não foram escritos no Livro da Vida desde a fundação do mundo, se admirarão, vendo a besta que era e não é, mas aparecerá.
9 Aqui está o sentido, que tem sabedoria: as sete cabeças são sete montes, nos quais a mulher está sentada. São também sete reis,
10 dos quais caíram cinco, um existe, e o outro ainda não chegou; e, quando chegar, tem de durar pouco.
11 E a besta, que era e não é, também é ele, o oitavo rei, e procede dos sete, e caminha para a destruição.
12 Os dez chifres que viste são dez reis, os quais ainda não receberam reino, mas recebem autoridade como reis, com a besta, durante uma hora.
13 Têm estes um só pensamento e oferecem à besta o poder e a autoridade que possuem.
14 Pelejarão eles contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, pois é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; vencerão também os chamados, eleitos e fiéis que se acham com ele.
15 Falou-me ainda: As águas que viste, onde a meretriz está assentada, são povos, multidões, nações e línguas.
16 Os dez chifres que viste e a besta, esses odiarão a meretriz, e a farão devastada e despojada, e lhe comerão as carnes, e a consumirão no fogo.
17 Porque em seu coração incutiu Deus que realizem o seu pensamento, o executem à uma e deem à besta o reino que possuem, até que se cumpram as palavras de Deus.
18 A mulher que viste é a grande cidade que domina sobre os reis da terra.


A divisão do capítulo como parte da revelação

Há um detalhe verdadeiramente instrutivo na forma como Apocalipse 17 se divide!

A introdução da visão apresenta os dois personagens principais de interesse da profecia: a grande meretriz e os reis da terra que com ela se prostituíram.

A visão descreve esta mulher, que é vista montada numa besta escarlate.

A explicação da visão revela detalhes sobre as relações impróprias que os reis da terra, simbolizados pela besta, mantêm com a mulher.

Agora note o seguinte: Na visão, a mulher impura é o grande destaque, ao passo que a menção à besta é quase incidental.

Na explicação da visão, o anjo inverte o foco: a besta passa a ser o destaque, enquanto que a mulher é mencionada em segundo plano.

O que isso significa?

A divina providência serviu-se desse expediente para advertir-nos de que não podemos compreender o significado da mulher sem considerar suas relações com a besta, nem o significado da besta independentemente de suas relações com a mulher. Ambos precisam ser compreendidos juntos, à luz de suas sucessivas relações!

Tenha isto em mente, à medida que avançarmos em nossa investigação sobre Apocalipse 17, pois trata-se de um pormenor fundamental para se entender o papel de cada um dos atores envolvidos nos desdobramentos finais do grande drama dos séculos.

Nosso próximo passo será investigar outra singularidade específica na maneira pela qual a visão de Apocalipse 17 foi revelada a João e que nos guiará à uma interpretação segura de seu verdadeiro significado.

0 comentários :

Postar um comentário

Postagem em destaque

O sábado: base da verdadeira adoração

O sábado é uma verdade essencial dentro do apelo do primeiro anjo para adorar a Deus (Apocalipse 14:7), pois oferece o fundamento e as ra...

Postagens Populares

Curta nossa Página no Facebook

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto

Leitor voraz. Alguém que gosta de escrever. Cristão protestante de nascimento, apaixonado pelas profecias bíblicas.

Receba postagens por e-mail

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Total de visualizações

Permitida a reprodução, desde que sejam mantidos os créditos do autor. Tecnologia do Blogger.