sexta-feira, 8 de julho de 2022

O lado negro de Hollywood

Pense em uma indústria com poder e influência cultural que não conhecem fronteiras, capaz de moldar a mentalidade e o comportamento de seus consumidores sem que eles mesmos se deem conta disso.

Agora, pense que essa indústria, que tem sido a provedora e controladora da expressão cultural da América por quase um século, tem verdadeira paixão pelo relativismo moral e capacidade de normalizar condutas desviantes em nome da "diversidade" e "igualdade".

Pense, ainda, que essa indústria concentra e é um refúgio para pessoas de índole má, com tendências do tipo mais perturbador, que veem os problemas e dilemas da sociedade como oportunidades para alterar profundamente o tecido social.

Esta é Hollywood, e tanto as figuras que dominam as posições corporativas de alto nível quanto as celebridades demonstram por seu comportamento visões de mundo que nunca, jamais deveriam ser socialmente adotadas.

Especialmente quando envolvem crianças.

Há inúmeros casos de abuso infantil no setor, e a frequência com que as celebridades expõem publicamente seus filhos é um deles. Mas como observa o Vigilant Citizen, embora esse comportamento já seja explorador por si só, outro nível de bizarrice tem surgido em Hollywood nos últimos anos: meninos vestidos com roupas femininas, muitas delas sexualmente apelativas.

A seleção de imagens a seguir exemplifica essa tendência. Se você tiver estômago, pode acessar o site do Vigilant Citizen e ler o artigo completo, que revela muito mais do que convém a este blog, juntamente com todas as imagens.


A atriz Megan Fox, que recentemente admitiu que bebe sangue para fins ritualísticos, veste seu filho Noah como uma menina desde que ele tinha dois anos. A frase na camiseta diz: "Strong Girls" (Crédito: The Vigilant Citizen)

Jackson, o filho adotivo da atriz Charlize Theron, usa vestidos desde os cinco anos (Crédito: The Vigilant Citizen)


O filho adotivo de Madonna, David Banda, de 16 anos, com roupa de líder de torcida, gargantilha e chifres (Crédito: The Vigilant Citizen)


Kai, filho dos atores Liev Schreiber e Naomi Watts, usando vestido e salto alto (Crédito: The Vigilant Citizen)


Em 2021, Naomi Watts postou esta foto de Kai com regata e brincos para comemorar seu aniversário de 13 anos (Crédito: The Vigilant Citizen)


A indústria do entretenimento molda perspectivas e forma a realidade. Ela gera os ideais que criam a visão de mundo, vende ideias e estilos de vida. Pensando nisso, considere como pessoas predispostas ou suscetíveis em algum grau a determinadas formas de comportamento (entre elas, as crianças) são especialmente afetadas numa cultura que incorpora e promove todos esses comportamentos.

Esta visão de mundo artificialmente criada celebra ativamente o pecado em um nível que nos remete à Sodoma e Gomorra, onde mesmo os mais jovens não escapavam das tendências sexuais dominantes, e que resultou na destruição daquelas cidades.

Não muito tempo atrás, havia um consenso geral de que certas condutas eram impróprias e que não deveriam ser toleradas. Ocorreu, porém, uma profunda mudança na maneira de pensar, um fenômeno em relação ao qual o cinema e a indústria da música atuaram como agentes catalisadores.

O fato é que, em meio ao caos sexual resultante, tornou-se um desafio ainda maior educar os filhos e dirigi-los por princípios firmes. Mas uma coisa é certa: Não é expondo nossas crianças à essa indústria que nos capacitará a dar a elas uma cosmovisão cristã, de modo a orientá-las e fortalecê-las na virtude, justamente quando seus impulsos são os mais fortes e mais urgente a necessidade de domínio próprio e pureza.

Os que foram comissionados para anunciar a verdade presente – que começa com um apelo para temer a Deus (Apocalipse 14:6-7) – nunca deveriam consumir os produtos de uma indústria que, definitivamente, não tem o temor do Senhor, nem tampouco estimular seus filhos nesse caminho.

E os ministros do evangelho jamais deveriam usá-la como inspiração ou modelo para as estratégias e atividades da igreja. Lembre-se: Não podemos vencer a guerra no campo espiritual se usarmos os mesmos métodos e táticas do inimigo.

Os reinos deste mundo são governados por princípios diferentes daqueles aos quais somos chamados como cristãos.

Portanto, em vez de financiar essa indústria e sua agenda demoníaca indo ao cinema (algo que um cristão jamais deveria fazer) assinando serviços de streaming (o que não é mais recomendável), ou celebrando suas histórias e personagens, invistamos naquela sabedoria e ciência do alto que somente a Palavra de Deus pode comunicar e que são a única segurança por entre as perplexidades e perigos que abundam nestes dias.

Se obedecermos à Sua Palavra, o Senhor promete:

"Haverá, ó Sião, estabilidade nos teus tempos, abundância de salvação, sabedoria e conhecimento; o temor do Senhor será o teu tesouro." Isaías 33:6.

Se você gostou desta postagem e quer apoiar o nosso trabalho, não esqueça de divulgá-la em suas redes sociais. Você também pode contribuir com este ministério clicando no botão abaixo. Sua doação permitirá que o evangelho eterno alcance muito mais pessoas em todo o mundo, para honra e glória de nosso Senhor Jesus. Que Deus o abençoe ricamente!

Um comentário:

  1. É assustador !!!
    Devemos estar constantemente em alerta para o que está acontecendo. Isso não é brincadeira.Que o Senhor tenha misericórdia dos nossos filhos, da nossa família.
    Obrigada Ricardo pelo alerta!

    ResponderExcluir