quinta-feira, 19 de maio de 2016

O Dia do Senhor

A propósito do sábado como o dia de repouso divinamente estabelecido, quero apresentar para reflexão dos leitores duas citações provenientes da literatura católica.

A primeira é da obra do Rev. Francis George Lentz, The Question Box or Answers to Objections Against The Catholic Church, que apresenta o seguinte diálogo:






P. (a) A Bíblia diz: "O sétimo dia é o sábado do Senhor", e lemos em sua literatura que este é o único sábado bíblico que existe. Por favor, explique como a observância do domingo se originou? (b) Você acredita que o Adventista do Sétimo Dia guarda o dia correto?
R. (a) Se você obedecer somente à Bíblia, não pode haver dúvida de que você está obrigado a santificar o sábado, pois esse é o dia especialmente prescrito pelo Deus Todo-Poderoso para ser santificado ao Senhor. Na observância do domingo, os não-católicos estão simplesmente seguindo a prática da Igreja Católica por 1.800 anos; uma tradição, não um mandamento bíblico. O que gostaríamos de saber é: Como eles [os não-católicos] negam a autoridade da Igreja, sobre qual fundamento podem basear sua fé ao observar o domingo. Aqueles que guardam o sábado, como os Adventistas do Sétimo Dia, têm inquestionavelmente sustentação nessa prática. E eles [os protestantes] não podem dar-lhes qualquer resposta suficiente que possa satisfazer a mente imparcial. No caso dos católicos, não há dificuldade sobre o assunto, pois, uma vez que negam que a Bíblia é a única regra de fé, podem recorrer à prática e tradição inalteráveis da Igreja... (1)

A segunda citação é da obra do Rev. Bertrand L. Conway, The Question-Box Answers, a qual expõe o seguinte:

Que autoridade há na Bíblia para mudar o dia de descanso do sétimo para o primeiro dia da semana? Quem deu ao Papa a autoridade para mudar um mandamento de Deus?
Se a Bíblia é o único guia para o cristão, então o Adventista do Sétimo Dia está certo em observar o sábado como o judeu. Os católicos, porém, sabem no que acreditar e consideram a Igreja Católica a autoridade divina infalível, estabelecida por Jesus Cristo, que nos tempos apostólicos tornou o domingo o dia de descanso em honra à ressurreição de nosso Senhor nesse dia, e para distinguir claramente o judeu do cristão. S. Justino Mártir (Apol., c. 67) fala da antiga reunião dos cristãos para o sacrifício da santa missa no domingo.
Não é estranho que aqueles que consideram a Bíblia seu único mestre sigam de forma inconsistente a tradição da Igreja nesse assunto? (2)


Notas e referências

1. Francis George Lentz, The Question Box or Answers to Objections Against The Catholic Church, 3rd Edition. New York and San Francisco: Christian Press Association, 1900, p. 98-99.

2. Bertrand L. Conway, The Question-Box Answers. New York: Columbus Press, 1912, p. 254-255.

0 comentários:

Postar um comentário