Blog dedicado ao estudo de Apocalipse 14:6 a 12.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Alegria na Obediência

Por Ellen G. White

Suspiro, Senhor, por Tua salvação; a Tua lei é todo o meu prazer. Sal. 119:174.

O verdadeiro cristão jamais se queixará de que o jugo de Cristo é torturante. Ele considera o serviço de Cristo como a mais autêntica liberdade. A lei de Deus é todo o seu prazer. Em vez de procurar baixar as ordens divinas, para estarem de acordo com as suas deficiências, ele se esforça constantemente por elevar-se ao nível de sua perfeição.


Tal deve ser a nossa experiência se queremos estar preparados para subsistir no dia de Deus. Agora, enquanto se prolonga o tempo de graça, enquanto ainda se ouve a voz da misericórdia, é o tempo de afastarmos os nossos pecados. ...

Deus tomou amplas providências para que possamos ficar perfeitos em Sua graça, não sendo faltosos em coisa alguma, aguardando o aparecimento de nosso Senhor. Estais vós prontos? Trazeis a veste nupcial? Essa vestimenta jamais cobrirá o engano, a impureza, a corrupção ou a hipocrisia. O olhar de Deus está sobre vós, discernindo os pensamentos e propósitos do coração. Podemos encobrir nossos pecados aos olhos humanos, mas nada podemos ocultar de nosso Criador.

Deus não poupou a Seu próprio Filho, mas entregou-O à morte por nossas ofensas e ressuscitou-O para nossa justificação. Por meio de Cristo podemos apresentar nossas petições ao trono da graça. Por Seu intermédio, indignos como somos, podemos obter todas as bênçãos espirituais. Iremos a Ele para termos vida? Testimonies, vol. 5, págs. 220 e 221.

A vontade de Deus exprime-se nos preceitos de Sua santa lei, e os princípios desta lei são os mesmos princípios do Céu. Os anjos celestes não atingem mais alto conhecimento do que saber a vontade de Deus; e fazer Sua vontade é o mais elevado serviço em que se possam ocupar suas faculdades.

No Céu, porém, o serviço não é prestado no espírito de exigência legal. Quando Satanás se rebelou contra a lei de Jeová, a ideia de que existia uma lei ocorreu aos anjos quase como o despertar para uma coisa em que não se havia pensado. Em seu ministério, os anjos não são como servos, mas como filhos. Existe perfeita unidade entre eles e seu Criador. A obediência não lhes é pesada. O amor para com Deus torna o Seu serviço uma alegria. Assim, em toda alma em que Cristo, a esperança da glória, habita, ecoam Suas palavras: "Deleito-Me em fazer a Tua vontade, ó Deus Meu; sim, a Tua lei está dentro do Meu coração." Sal. 40:8. O Maior Discurso de Cristo, pág.109.


Fonte: Maranata, o Senhor Vem - Meditações Matinais. Versão em CD-ROM. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 1977, p. 77.

0 comentários :

Postar um comentário

Postagem em destaque

O sábado: base da verdadeira adoração

O sábado é uma verdade essencial dentro do apelo do primeiro anjo para adorar a Deus (Apocalipse 14:7), pois oferece o fundamento e as ra...

Postagens Populares

Curta nossa Página no Facebook

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto

Leitor voraz. Alguém que gosta de escrever. Cristão protestante de nascimento, apaixonado pelas profecias bíblicas.

Receba postagens por e-mail

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Total de visualizações

Permitida a reprodução, desde que sejam mantidos os créditos do autor. Tecnologia do Blogger.