Blog dedicado ao estudo de Apocalipse 14:6 a 12.

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Roma não muda - Sobre a primazia papal

O maior canal de televisão católico do mundo, o EWTN, publicou em seu website um artigo intitulado "The Nature of Papal Primacy" ("A Natureza da Primazia Papal"), de Pedro Rodriguez, do qual extraímos os seguintes trechos:


"3. A natureza do primado papal

"O Capítulo 3 da constituição dogmática sobre a Igreja do Concílio Vaticano I (Pastor aeternus) é o principal documento do Magistério sobre o teor e natureza do poder primacial do Romano Pontífice. O Capítulo 4 é um desenvolvimento e explicação de uma característica particular deste poder primacial, a saber, o supremo magistério do Papa, ou seja, quando o Papa fala ex cathedra ele ensina a doutrina da fé infalivelmente. O Magistério do Romano Pontífice é um dos principais elementos de sua autoridade primacial.


"A. O primado da jurisdição

"A primazia proferida pelo Vaticano I é um primado de jurisdição. A palavra jurisdição sublinha a força vinculante da autoridade que Cristo conferiu ao Papa na Igreja. Ela exige obediência de todos os fiéis. Está em oposição a uma primazia de honra (Primus inter pares) e a um primado de direção, o qual pode ser dotado do poder de aconselhar e orientar, mas não com o poder de comandar. A palavra, naturalmente, tem suas raízes na linguagem jurídica. Mas o que é definido pelo Concílio transcende as categorias judiciais e pode ser entendida mais plenamente à luz das propriedades que o Concílio atribui ao poder primacial do Papa. O poder do Papa é

"i) universal: ele se estende a toda a Igreja, ou seja, a todos os membros da Igreja (pastores e fiéis), bem como a todas as várias questões que possam surgir;
"ii) comum: não é extraordinário, o que significa que ele pode ser usado apenas em circunstâncias excepcionais; nem é delegado, isto é, pertence intrinsecamente ao ofício do Papa e não é delegado a ele por outra pessoa;
"iii) supremo: o que significa que não está subordinado a qualquer outra autoridade;
"iv) completo: abrange todas as questões que possam surgir na vida da Igreja, e age sob todos os pontos de vista;
"v) imediato: ele não precisa ser exercido por meio de intermediários e, se necessário, pode ter aplicações mais práticas."

[...]

"E. O Papa, Vigário de Cristo

"O primado do Papa é um mistério da economia da salvação. E a este mistério pertencem esses estatutos internos apenas anteriormente mencionados."

[...]

"No entanto, e isto é importante, não há na terra nenhum tribunal externo, nem na Igreja nem na sociedade civil a que se pode recorrer contra suas decisões. O Papa deve procurar aconselhamento, tomar as medidas que a prudência requer na função delicada de governo da Igreja, ouvir a opinião de seus irmãos bispos, etc., 'mas a decisão da Sé apostólica, cuja autoridade é insuperável, não está sujeita à revisão por qualquer pessoa, nem autoriza ninguém a criticar suas decisões. Portanto, aqueles que dizem que é permitido recorrer das decisões do Pontífice Romano a um conselho ecumênico  (como a uma autoridade superior ao Pontífice Romano) estão longe do caminho reto da verdade'.

"Chegamos aqui, talvez, ao centro nervoso de todos os ensinamentos sobre a primazia. E isto é o que mais traz à tona o fato de que estamos diante de um 'mistério da fé' e não 'um fator organizacional' da Igreja determinável pela luz natural da razão humana. Mas também nos leva a tomar a nossa posição a respeito do que é o fundamento último de todo o mistério, uma base que é centrada no próprio Cristo. A base do primado é, por um lado, sua instituição histórica em Cristo, mas, por outro, é a presença real de Cristo hoje nos atos primaciais do Papa. 'A relação do primado de Cristo não só é histórico-causal, mas também real-causal, pois na atividade do Papa o próprio Cristo é audível e visível. Do Papa pode ser realmente dito: Ele age na pessoa de Cristo'. Com sabedoria teológica, Santa Catarina de Siena chamou o Papa de 'doce Cristo na terra', porém, ao mesmo tempo, consciente da responsabilidade moral do Papa, ela pediu-lhe para exercer com coragem o seu 'serviço da unidade' na Igreja, isto é, ser fiel à sua missão mais importante.

"Desde o momento em que São Clemente de Roma interveio nos assuntos da igreja de Corinto no sentido de estabelecer a paz nessa comunidade conturbada, até aos nossos dias, com seus métodos contemporâneos para governar a Igreja universal, os Pontífices Romanos têm sido os instrumentos determinados por Cristo para manter a unidade entre os bispos e a multidão dos fiéis, isto é, a Igreja, numa unidade de fé e comunhão. As formas do exercício do primado têm variado com o tempo, mas a sua substância não muda, pois é imutável. Por conseguinte, o primado não pode ser diluído na esteira dos ideais 'anglicanos' ou 'democráticos'.

"'Quando o Papa age em virtude de seu ofício, ele representa a uma e ao mesmo tempo toda a Igreja e todo o corpo de bispos. Mas não se pode deduzir que ele recebe seu poder da comunidade de crentes ou dos bispos. Pelo contrário, ele recebe de Cristo'. 'O Papa', escreve o Cardeal Ratzinger, 'não é apenas alguém que fala em nome dos bispos, uma espécie de porta-voz que fala por eles e que está aqui para executar suas ordens. O Papa está onde está, com uma responsabilidade direta diante de Deus, para ocupar o lugar do Senhor, e assegurar a unidade da palavra e obra de Cristo, da mesma forma como Cristo deu a Pedro essa mesma função dentro da comunidade dos doze'."


Fonte: EWTN

0 comentários :

Postar um comentário

Postagem em destaque

O sábado: base da verdadeira adoração

O sábado é uma verdade essencial dentro do apelo do primeiro anjo para adorar a Deus (Apocalipse 14:7), pois oferece o fundamento e as ra...

Postagens Populares

Curta nossa Página no Facebook

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto

Leitor voraz. Alguém que gosta de escrever. Cristão protestante de nascimento, apaixonado pelas profecias bíblicas.

Receba postagens por e-mail

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Total de visualizações

Permitida a reprodução, desde que sejam mantidos os créditos do autor. Tecnologia do Blogger.