Blog dedicado ao estudo de Apocalipse 14:6 a 12.

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Babilônia: a grande meretriz (1)

Se a igreja verdadeira guarda os mandamentos de Deus e a fé em Jesus, como de fato comprovam as Escrituras (Apocalipse 14:12), está claro que Babilônia mística se comporta de um modo completamente diferente. Sobre esse poder, é dito que "tem dado a beber a todas as nações do vinho da fúria da sua prostituição" (Apocalipse 14:8). Afirma-se, também, que esse vinho incestuoso é dado num "cálice de ouro" (17:4).

sábado, 26 de setembro de 2015

O remanescente de Deus e Babilônia

Por suas características, a Babilônia apocalíptica é também um fenômeno de dimensões institucionais. Isto significa que haverá nos últimos dias corporações religiosas e políticas que, devido à sua natureza, cumprirão as especificações proféticas concernentes à Babilônia.

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

A reconstrução simbólica de Babilônia nos últimos dias

A Babilônia apocalíptica é um fenômeno dos últimos tempos. Ela é mencionada seis vezes no Apocalipse em conexão com os juízos retributivos de Deus (as sete pragas) e a volta de Jesus. O nome "Babilônia" não foi escolhido pela Providência por mero capricho. Há uma analogia entre esse fenômeno escatológico e a antiga Babilônia. Assim como esta foi inimiga de Deus, da verdade de Deus e do povo de Deus, aquela apresentará um comportamento semelhante.

terça-feira, 22 de setembro de 2015

O anúncio da queda de Babilônia

O segundo anjo se une ao primeiro na proclamação do evangelho eterno, expandindo e ampliando o significado da mensagem original. Como as muitas advertências e apelos decisivos encontrados nas Escrituras (Gênesis 6:3; Deuteronômio 30:15-20; I Reis 18:21; Oséias 14:9; Amós 5:14; Jonas 1:1-2, etc.), a mensagem do segundo anjo consiste de um solene aviso motivado pelo amor e pela misericórdia de Deus.

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

A SEGUNDA MENSAGEM ANGÉLICA

Seguiu-se outro anjo, o segundo, dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia que tem dado a beber a todas as nações do vinho da fúria da sua prostituição. (Apocalipse 14:8)

O primeiro anjo é seguido por um segundo anjo que anuncia a queda moral de um conjunto de poderes representados pela figura de Babilônia. Originalmente derivado de Babel, cujo significado bíblico é "confusão", o nome Babilônia é apropriadamente empregado no Apocalipse para representar os diversos e contraditórios sistemas religiosos que se afastaram dos marcos fundamentais da verdade, não obstante sua confissão de fé em Jesus.

terça-feira, 15 de setembro de 2015

A primeira mensagem angélica - Conclusão

A abertura do evangelho eterno nas palavras do primeiro anjo não poderia ser diferente. Ela chama a nossa atenção para Deus, exatamente como faz toda Escritura; não para um conceito vago sobre Deus, mas para um Deus real, pessoal, Criador de todas as coisas, Redentor e Juiz, que apresenta à geração que vive nos derradeiros e culminantes momentos da história uma mensagem singular e objetiva:

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

O contraste entre a verdadeira e a falsa adoração (4)

George E. Rice observa que os mileritas da Igreja Metodista partilhavam da aceitação de Wesley das experiências emocionais durante a adoração. De modo que as primeiras reuniões adventistas reproduziram o entusiasmo do metodismo, caracterizando-se por um coro de améns fervorosos e brados de louvor a Deus.

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

O contraste entre a verdadeira e a falsa adoração (3)

O quadro do mundo religioso nos últimos dias foi antecipado por Paulo em sua segunda carta a Timóteo. Usando como referência sua própria realidade, ele descreve as tentações e perigos a que estariam expostos os cristãos durante esse tempo.

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

O contraste entre a verdadeira e a falsa adoração (2)

Satanás bem sabe que a experiência real de adoração "em espírito e em verdade" (sobre isso, clique aqui) resultará, enfim, num avivamento religioso sem precedentes (ver Joel 2:23, 28-29; Atos 1:8). Afinal, o povo que persevera em guardar os mandamentos de Deus e a fé em Jesus possui essas qualidades em virtude de uma resposta positiva e adequada ao evangelho eterno. Não há dúvida de que o inimigo da verdade empregará todos os meios possíveis para confundir e desviar as pessoas da experiência bíblica de adoração e reavivamento, introduzindo em seu lugar uma contrafação.

terça-feira, 8 de setembro de 2015

O contraste entre a verdadeira e a falsa adoração (1)


Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores. Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade. (João 4:23-24)

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

A dimensão evangélica do sábado

Além de um repouso essencial para o bem-estar da humanidade, em que seus interesses próprios e ocupações são substituídos pela ampla apreciação das obras de Deus e na meditação de Seu poder e bondade, a observância do sábado guarda íntima ligação com nossa redenção.

Postagem em destaque

O sábado: base da verdadeira adoração

O sábado é uma verdade essencial dentro do apelo do primeiro anjo para adorar a Deus (Apocalipse 14:7), pois oferece o fundamento e as ra...

Postagens Populares

Curta nossa Página no Facebook

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto

Leitor voraz. Alguém que gosta de escrever. Cristão protestante de nascimento, apaixonado pelas profecias bíblicas.

Receba postagens por e-mail

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Total de visualizações

Permitida a reprodução, desde que sejam mantidos os créditos do autor. Tecnologia do Blogger.