Blog dedicado ao estudo de Apocalipse 14:6 a 12.

sábado, 31 de dezembro de 2016

Diante do trono de Deus

Terminamos o artigo anterior enfatizando a necessidade premente de uma preparação individual, de um decidido esforço pessoal, em cooperação com o Espírito Santo, para que, no dia em que nosso caso for julgado pelo tribunal celeste, seja aposto à frente do nosso nome: "Purificado de todos os pecados perante o Senhor". Esta expressiva declaração significa estar completamente salvo, coberto pela justiça de Cristo, e, portanto, em harmonia com a lei de Deus. Os que compreenderam sua aflitiva condição e arrependeram-se do pecado e, pela fé, reclamaram para si os benefícios do sangue de Cristo terão uma sentença favorável do Senhor no dia do juízo. Seus pecados serão riscados e eles próprios achados dignos da vida eterna!

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

As indulgências ainda existem

Enquanto preparo o próximo artigo de nossa nova série sobre a Verdade Presente (confira no Índice, no item "Séries Temáticas", os artigos já publicados sobre o tema), aproveito a oportunidade para compartilhar com meus amigos leitores uma recente matéria publicada pelo Pastor Hal Mayer em seu site Keep the Faith, um ministério auto-sustentável dedicado a proclamar as três mensagens angélicas.

O texto destaca que a Igreja de Roma, na pessoa de seu maior representante, ainda promove a prática das indulgências (uma evidência adicional de que ela não muda), em flagrante contraste com o evangelho eterno. Além disso, exalta Maria a um condição contrária a Atos 4:12 e I Timóteo 2:5.

O objetivo não é criticar ou ofender os católicos, mas alertá-los quanto aos perigos de seguir doutrinas que são, na verdade, mandamentos de homens (Mateus 15:9). Nossa oração é para que estes cristãos sinceros possam desvencilhar-se das tradições humanas e aprender a confiar somente em Cristo, cuja intercessão "pode salvar totalmente os que por ele se chegam a Deus" (Hebreus 7:25)!

sábado, 17 de dezembro de 2016

Purificados de todos os pecados perante o Senhor

A visão da tarde e da manhã de Daniel 8:14, que diz respeito à purificação do santuário no Céu, é o centro de nossas maiores esperanças! Sobre ela, o anjo Gabriel testificara a Daniel: "é verdadeira" (verso 26)! E não há nenhuma razão para duvidar de seu testemunho, pois Jesus Cristo, a "testemunha fiel e verdadeira" (Apocalipse 3:14), nosso "grande sacerdote sobre a casa de Deus" (Hebreus 10:21) levará a glorioso termo o plano divino de redenção iniciado na cruz, para a vindicação de Deus e de suas criaturas (Filipenses 1:6)!

sábado, 10 de dezembro de 2016

A natureza da obra final de Cristo em Seu santuário

A centralidade do Dia da Expiação no Pentateuco e no próprio livro de Levítico demonstra a suprema importância da derradeira obra que então se realizava neste dia em favor do santuário e do povo, algo que deve absorver toda a nossa atenção. Nos serviços diários, os pecados confessados ao longo do ano eram figuradamente transferidos para o tabernáculo por meio da manipulação ritual do sangue da oferta pelo pecado, indicando que, embora o pecador recebesse o perdão e a justificação da parte de Deus com base na promessa, o problema da existência do pecado permanecia sem solução. A cerimônia anual da expiação lidava com esse problema, realizando uma obra de remoção de pecados, não executada pelo serviço diário.

sábado, 3 de dezembro de 2016

O Dia da Expiação ou juízo

A vida e a santidade do antigo Israel estavam centralizadas no santuário. Este espaço inigualável era uma reprodução em miniatura do centro divino de operações no Céu, a habitação terrestre do próprio Deus por meio da qual Ele prometia e revelava o método divino de redenção que viria na pessoa de Jesus Cristo. No sistema israelita de sacrifícios e ministério sacerdotal, o Senhor lidava com a tragédia do pecado e colocava ao alcance do pecador a solução divina para esse problema.

sábado, 26 de novembro de 2016

O evangelho eterno em símbolos

A ênfase ou aplicação especial do evangelho para o tempo do fim, segundo revelada na obra profética do "anjo forte" de Apocalipse 10, diz respeito a uma verdade procedente do santuário. Não do santuário hebreu, com seu sistema típico e sacrifical, mas do "verdadeiro tabernáculo que o Senhor erigiu" (Hebreus 8:2), no qual Cristo entrou "para comparecer, agora, por nós, diante de Deus" (9:24). Não obstante, como escopo da redenção e do juízo, o santuário terrestre lança preciosa luz sobre a natureza da obra de nosso amado Salvador no centro divino de operações no Céu, especialmente no contexto do tempo do fim.

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Donald Trump: um novo Constantino?

Uma informação de última hora. Ontem, 15 de novembro, Steve Jalsevac, co-fundador e diretor do espaço virtual conservador, LifeSiteNews.com, reproduziu um interessante artigo, cujo autor, Blaise Joseph, é decano assistente na Warrane College, na Universidade de Nova Gales do Sul. Originalmente publicado no Mercatornet oito meses antes da disputa eleitoral que definiu Donald Trump o mais novo presidente dos EUA, o artigo se referiu ao então candidato republicano como "um novo Constantino", caso vencesse o pleito, antecipando o que a sua presidência poderia representar para os cristãos conservadores.

sábado, 12 de novembro de 2016

A ênfase do evangelho para o tempo do fim

Concluímos nosso artigo anterior observando o extraordinário significado da instrução que João recebera do "anjo forte" para profetizar novamente (Apocalipse 10:11). O ato simbólico de João comer o livrinho e experimentar a sensação doce e amarga de sua mensagem (verso 10) é esclarecido nesta ordem divina, e revela que a igreja de Deus, simbolizada na pessoa de Seu profeta, recebe agora a comissão para proclamar o evangelho eterno dentro do marco das profecias do tempo do fim! Isto significa que João, ao profetizar outra vez, deve fazê-lo na perspectiva dos últimos acontecimentos segundo revelados no livro de Daniel, o que implica naturalmente num aumento progressivo do conhecimento de suas profecias (Daniel 12:4-10).

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Hillary: "Lutar pelo que é certo vale a pena"

Antes de retomar o tema de nossa última postagem, quero partilhar com os caros leitores um pensamento que me chamou a atenção no recente discurso de Obama sobre o resultado das eleições deste ano nos EUA. Dirigindo-se aos jovens que ingressaram na política pela primeira vez, o atual Presidente mencionou a seguinte frase de Hillary Clinton, proferida durante seu discurso de concessão de derrota: "Lutar pelo que é certo vale a pena".

Devo dizer que concordo plenamente com a ideia, mas não com os motivos da candidata democrata. Afinal, o que Hillary Clinton considera certo? Quem, aliás, estabelece os critérios para decidir o que é certo e o que é errado, e sobre quais fundamentos esta decisão é feita?

sábado, 5 de novembro de 2016

O grande movimento do advento

Em nossa postagem anterior, vimos que o poderoso anjo de Apocalipse 10, cujas características indicam tratar-se da pessoa de nosso amado Salvador, é representante de um amplo movimento missionário a ocorrer na Terra no tempo do fim. O profeta Daniel fora instruído a selar ou fechar a visão sobre este período especial de tempo, pois se referia "a dias ainda mui distantes" (Daniel 8:26; 12:4, 9). O fato, porém, de o próprio Senhor Jesus, na figura de um mensageiro celeste, apresentar-se com um livrinho aberto na mão e jurar em nome de Si mesmo que "já não haverá demora", revela de maneira impressiva que a porção profética de Daniel outrora fechada acha-se agora aberta, e, portanto, chegara o tempo em que muitos a esquadrinhariam, e a ciência a seu respeito multiplicar-se-ia entre as nações rapidamente.

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

A solene obra do outro anjo

Vi outro anjo voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre a terra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo. (Apocalipse 14:6)

A mensagem do primeiro anjo estabelece em linhas indeléveis a natureza e propósito do evangelho eterno para a geração do tempo do fim. Ao preparar um povo para estar em pé no grande Dia do Senhor, ela antecipa um grande despertamento religioso sob a proclamação da breve vinda de Cristo. O caráter exaltado desta mensagem e o poder e glória que devem acompanhar sua obra encontram-se significativamente representados na figura de um anjo, que voa no zênite do céu e anuncia "em grande voz" o último convite da graça a todos os habitantes da Terra.

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Conferência ecumênica sobre o domingo

Enquanto preparo o próximo artigo da nova série sobre as três mensagens angélicas, não poderia deixar de compartilhar com os caros leitores uma notícia de última hora. Em menos de dez dias terá lugar na cidade de Boston, EUA, uma conferência ecumênica cujo tema será Um Dia Global de Descanso e a Importância do Domingo. Católicos, evangélicos e judeus estarão entre os participantes. As informações a seguir foram originalmente publicadas no site The Boston Pilot.

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

A última mensagem de advertência

As três mensagens angélicas são o ponto culminante de Apocalipse 14 e estão entre as advertências mais solenes das Escrituras. Seu conteúdo é de suprema solenidade, e seu apelo, de vívido interesse para a geração dos últimos dias. Prova-o a alusão que o profeta João faz ao glorioso retorno de Jesus Cristo para segar a seara da Terra (Apocalipse 14:14-20) imediatamente após descrever cada uma das três mensagens (versos 6 a 12). O teor de urgência que permeia todo o capítulo indica que é iminente o tempo quando toda a terra será levada à maturação ou decisão, seja para o bem ou para o mal, mediante a proclamação final do evangelho eterno na voz dos três anjos.

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

EUA X Rússia: o prenúncio de uma crise decisiva?

A crescente tensão nas relações diplomáticas entre os Estados Unidos e a Rússia deveria chamar a atenção do povo de Deus, tendo em vista a sua evidente relevância e seus possíveis desdobramentos, os quais poderão abrir caminho para o cumprimento das porções finais das profecias bíblicas que ainda esperam sua plena realização, e que contêm nossas mais acalentadas esperanças

sábado, 8 de outubro de 2016

O poder do alto

Por Moysés S. Nigri

Fostes regenerados... mediante a Palavra de Deus, a qual vive e é permanente. I Ped. 1:23.

Alguém disse: "O grande problema da Igreja hoje não é a falta de HOMENS, mas a falta de PODER do alto!" Ter homens de poder e com poder, com mais poder, poder divino do alto, é a grande necessidade.

sábado, 1 de outubro de 2016

O papel da Igreja na comunidade: uma reflexão

A preocupação sobre como tornar a Igreja relevante em uma sociedade profundamente secularizada se traduz hoje no uso corrente de conceitos como "igreja intencional", "processo de transformação organizacional" ou de "mudança da cultura da igreja" (sempre no sentido de satisfazer demandas sociais), "igreja com foco na comunidade", "evangelismo da compaixão", "evangelismo da amizade", etc. Qualquer pessoa minimamente familiarizada com a origem e significado destes conceitos sabe que sua aplicação no meio adventista nada tem de original. De fato, lendo recentemente um livro inspirado nestas ideias, percebi que a única coisa singular na obra era o nome do autor.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Alegria na Obediência

Por Ellen G. White

Suspiro, Senhor, por Tua salvação; a Tua lei é todo o meu prazer. Sal. 119:174.

O verdadeiro cristão jamais se queixará de que o jugo de Cristo é torturante. Ele considera o serviço de Cristo como a mais autêntica liberdade. A lei de Deus é todo o seu prazer. Em vez de procurar baixar as ordens divinas, para estarem de acordo com as suas deficiências, ele se esforça constantemente por elevar-se ao nível de sua perfeição.

sábado, 17 de setembro de 2016

"Para experimentar os que habitam sobre a terra"

Porque guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da hora da provação que há de vir sobre o mundo inteiro, para experimentar os que habitam sobre a terra. (Apocalipse 3:10)

As atuais tensões produzidas pela diversidade cultural e religiosa e as crises de ordem comum que ameaçam a sobrevivência do homem e do planeta compõem um cenário adequado para que o processo dialético e o consenso de grupo se tornem o novo parâmetro em torno do qual as soluções pretendidas são articuladas. Diferentes fatores têm intensificado um processo permanente de mudança de pensamento e de atitudes, uma transformação contínua rumo à "conciliação dos opostos nas coisas e no espírito", sem muita tolerância para com o contraditório.

terça-feira, 6 de setembro de 2016

A religião humanista da nova ordem

O julgamento é este: que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más. (João 3:19)

Não há ninguém mais profundamente interessado em nossa condição presente e destino futuro do que Jesus Cristo. Desde que o pecado passou a fazer parte da experiência humana, trazendo dor, sofrimento e morte a um mundo outrora perfeito, o Senhor determinou-se a restaurar o relacionamento do homem consigo mesmo a qualquer custo. Por esta razão Cristo veio, e Sua vinda constitui a mais expressiva prova de Seu interesse pela humanidade e de Sua determinação em revelar o amor de Deus e Sua justiça como única solução para o problema do pecado e da morte.

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Seduzidos pelo discurso do consenso

Entrai pela porta estreita (larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz para a perdição, e são muitos os que entram por ela), porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que conduz para a vida, e são poucos os que acertam com ela. (Mateus 7:13-14)

Nenhum cristão que estude diligentemente Apocalipse 16:13 e 14 pode nutrir alguma dúvida quanto ao cenário que aguarda o povo de Deus pouco antes da segunda vinda de nosso Senhor. Identificar os personagens envolvidos no grande e último drama e a verdadeira natureza do conflito é apenas parte de uma investigação que deve necessariamente incluir seu glorioso desfecho. Cumpre-nos, porém, tecer mais alguns comentários sobre o espírito por trás do discurso consensual globalista e como cristãos professos estão aderindo a ele.

quinta-feira, 14 de julho de 2016

A Nova Ordem Mundial - O oculto revelado

Por que se enfurecem os gentios e os povos imaginam coisas vãs? Os reis da terra se levantam, e os príncipes conspiram contra o Senhor e contra o seu Ungido, dizendo: Rompamos os seus laços e sacudamos de nós as suas algemas. Ri-se aquele que habita nos céus; o Senhor zomba deles. Na sua ira, a seu tempo, lhes há de falar e no seu furor os confundirá. (Salmo 2:1-5)

sábado, 2 de julho de 2016

A Nova Ordem Mundial - Os agentes de transformação global

Compreender a necessidade inadiável de guardar a Palavra de Deus e o testemunho de Jesus em vista da terrível crise que se aproxima é o primeiro e mais decisivo passo para não sermos engolfados pelos poderosos enganos que dominam o mundo. O segundo passo é entender o inimigo contra o qual se está lutando, suas muitas faces e estratégias, seu ardor revolucionário e a determinação de incutir nos indivíduos e nos povos a sua revolta. A negligência em ambos os casos tem cobrado um alto preço dos seguidores de Jesus, mesmo naqueles aspectos da experiência cristã em que nos consideramos bem sucedidos.

terça-feira, 28 de junho de 2016

A Nova Ordem Mundial - Preparando-se para a grande crise

Antes que possamos avançar em nossa compreensão sobre a Nova Ordem Mundial - uma ordem de coisas oposta e, certamente, refratária a Deus e aos princípios universais que regem o Seu governo -, é muito, muito importante considerarmos uma promessa de Jesus Cristo dirigida à Sua igreja na qual Ele se refere a esse fenômeno de proporções globais que antecede o Seu glorioso retorno. Esta promessa encontra-se em Apocalipse 3:10, e deve absorver toda a nossa atenção:

sábado, 25 de junho de 2016

A Nova Ordem Mundial - Introdução

Escrever sobre a Nova Ordem Mundial é tarefa das mais difíceis. A variedade e complexidade dos atores envolvidos e as inúmeras e muitas vezes contraditórias ações perpetradas a partir dos bastidores do poder parecem-nos um espetáculo assustador e incompreensível sob qualquer ângulo, um turbilhão de acontecimentos aparentemente caóticos e desconexos, desprovidos de qualquer sentido razoável de coerência, e seu conjunto não nos aparece nem no espaço da cena em que se representa, nem no instante do espetáculo a que assistimos.

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Mensagens solenes para um tempo solene

Os parágrafos a seguir, selecionados do livro O Grande Conflito, de Ellen G. White, enfatizam a importância das três mensagens angélicas no sentido de despertar a igreja remanescente de sua letargia espiritual e reavivá-la para que cumpra a solene missão que Deus lhe confiou: preparar a si mesma e a um povo para o grande Dia do Senhor. Diante do fato de que vivemos num tempo de juízo (Apocalipse 14:7), em que nosso Salvador está analisando cada caso à luz dos livros celestiais e com base em Sua santa Lei (Daniel 7:9-10; Tiago 2:12), estas palavras se revestem de uma significação excepcional e devem absorver toda a nossa atenção.

sábado, 18 de junho de 2016

É tempo de despertar

Antes que as três mensagens angélicas sejam proclamadas ao mundo (Apocalipse 14:6), elas devem primeiro exercer sua influência reavivadora e santificadora entre o professo povo de Deus. Neste sentido, o último apelo divino na voz dos três anjos se une à exortação da Testemunha Fiel e Verdadeira na obra de despertar a última geração de crentes, representada por Laodiceia (Apocalipse 3:14-22), e prepará-la para ser um povo "exclusivamente seu, zeloso de boas obras", remido de suas iniquidades e purificado de seus pecados (Tito 2:14).

quinta-feira, 16 de junho de 2016

O papa e os "fundamentalistas": uma visão católica

As declarações intransigentes e, algumas vezes, blasfemas do papa Francisco têm sido objeto de frequente discussão na internet, particularmente entre os adventistas do sétimo dia. Mas o que dizer quando até mesmo católicos se sentem ameaçados com estas declarações?

Recentemente, o LifeSiteNews.com, um serviço de notícias e informações dedicado a questões relacionadas à cultura, vida e família, publicou um artigo intitulado "A retórica do Papa contra 'fundamentalistas' católicos poderia contribuir para viabilizar a perseguição ativa". Note que o editor representa católicos conservadores que creem firmemente na doutrina da Igreja, inclusive na primazia da autoridade papal. Contudo, suas preocupações são bastante reveladoras para aqueles que compreendem a verdadeira natureza e pretensão do papado à luz das Escrituras.

quarta-feira, 15 de junho de 2016

O Ideal de Deus para Sua Igreja

Por Ellen G. White

Para a apresentar a Si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível. Efésios 5:27.

O Senhor Deus é Deus zeloso; contudo suporta por muito tempo os pecados e transgressões de Seu povo nesta geração. Se o povo de Deus tivesse andado conforme o Seu conselho, Sua obra teria prosperado, e a mensagem da verdade teria sido dada a todos os povos que habitam a superfície de toda a Terra. ... Mas porque o povo é desobediente, ingrato e profano como o era o antigo Israel, o tempo é dilatado para que todos possam ouvir a última mensagem de misericórdia a ser proclamada com grande voz. A obra do Senhor tem sido impedida, e o tempo do assinalamento, adiado. Muitos não ouviram a verdade. O Senhor, porém, lhes dará a oportunidade de ouvir e serem convertidos, e a Sua obra avançará. Carta 106, 1897.

sábado, 11 de junho de 2016

O papa romano é o anticristo da profecia

Em uma postagem sobre o número místico 666, declarei que o número da besta representa um sistema ou instituição humana e não necessariamente um homem no sentido literal. É muito importante esclarecer que, ao fazer essa colocação, eu tinha em mente tanto a interpretação dispensacionalista que identifica o homem ao qual o número está ligado como sendo um indivíduo obscuro que deveria surgir no fim dos tempos, como as diferentes interpretações que têm sugerido uma variedade de nomes sem considerar o contexto de Apocalipse 13:18.

quarta-feira, 8 de junho de 2016

"Babilônia" vive (mas por pouco tempo)

E não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as. (Efésios 5:11)

Uma das características mais marcantes da pós-modernidade diz respeito ao seu distanciamento da razão e a valorização do conhecimento intuitivo e emocional como forma de transcender o mundo real e racional. A busca por uma experiência interior ou mística, uma sabedoria supostamente capaz de substituir e até superar as incongruências do racionalismo moderno reflete essa valorização mais do que qualquer outra coisa.

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Roma não muda - Sobre a primazia papal

O maior canal de televisão católico do mundo, o EWTN, publicou em seu website um artigo intitulado "The Nature of Papal Primacy" ("A Natureza da Primazia Papal"), de Pedro Rodriguez, do qual extraímos os seguintes trechos:


"3. A natureza do primado papal

"O Capítulo 3 da constituição dogmática sobre a Igreja do Concílio Vaticano I (Pastor aeternus) é o principal documento do Magistério sobre o teor e natureza do poder primacial do Romano Pontífice. O Capítulo 4 é um desenvolvimento e explicação de uma característica particular deste poder primacial, a saber, o supremo magistério do Papa, ou seja, quando o Papa fala ex cathedra ele ensina a doutrina da fé infalivelmente. O Magistério do Romano Pontífice é um dos principais elementos de sua autoridade primacial.

terça-feira, 31 de maio de 2016

De que lado do conflito nós estamos?

As três mensagens angélicas se revestem de significado especial numa época em que o mundo religioso está se unindo num mesmo conceito de adoração. A busca por uma experiência mística com Deus, nas suas mais diversas manifestações, está abrindo caminho para uma uniformidade espiritual no mundo e contribuindo para o diálogo e interação entre grupos religiosos tão distintos quanto o céu é diferente da terra. Este fenômeno, longe de ser um modismo passageiro, é parte do modelo consensual globalista em formação, e não constitui outra coisa senão uma versão moderna e ampliada da antiga torre de Babel, com as mesmas motivações, as mesmas filosofias pagãs e o mesmo espírito recalcitrante de outrora.

sábado, 28 de maio de 2016

A maior e mais urgente necessidade

"Um reavivamento da verdadeira piedade entre nós, eis a maior e a mais urgente de todas as nossas necessidades. Buscá-lo, deve ser nossa primeira ocupação." (1) Estas palavras de Ellen G. White que nos são tão familiares trazem consigo o segredo para uma experiência cristã verdadeiramente edificante e vitoriosa, capaz de proporcionar maior consagração a Deus, um comprometimento mais decidido com Sua causa e uma vida mais feliz e mais fecunda. Elas são dirigidas à igreja de Deus num tempo em que Satanás está determinado a sabotá-la e, consequentemente, destruí-la mediante uma variedade de expedientes.

quinta-feira, 19 de maio de 2016

O Dia do Senhor

A propósito do sábado como o dia de repouso divinamente estabelecido, quero apresentar para reflexão dos leitores duas citações provenientes da literatura católica. A primeira é da obra do Rev. Francis George Lentz, The Question Box or Answers to Objections Against The Catholic Church, que apresenta este interessante diálogo:

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Agora é o Tempo do Selamento

Por Ellen G. White

Não danifiqueis nem a Terra, nem o mar, nem as árvores, até selarmos na fronte os servos do nosso Deus. Apoc. 7:3.

Satanás está agora usando cada artifício neste tempo de selamento a fim de desviar a mente do povo de Deus da verdade presente e levá-lo a vacilar. Vi que Deus estava estendendo uma cobertura sobre o Seu povo a fim de protegê-lo no tempo de angústia; e que cada alma que se decidia pela verdade e era pura de coração devia ser coberta com a proteção do Todo-poderoso.

terça-feira, 10 de maio de 2016

A tríplice mensagem e os verdadeiros adoradores

O caráter irrepreensível do grupo final de remidos representados pelos 144 mil (Apocalipse 14:1-5) é a prova definitiva do poder do evangelho para a salvação de todo aquele que crê (Romanos 1:16). A aceitação do evangelho eterno implica em íntima união com Cristo e na separação do mundo pela renovação da mente (Romanos 12:2), e, por isso, o remanescente final permanece íntegro em face dos apelos sedutores de Babilônia mística (Apocalipse 14:8; 17:1-2). Os 144 mil são puros porque "lavaram suas vestiduras e as alvejaram no sangue do Cordeiro" (Apocalipse 7:14), ou seja, aceitaram e receberam a justiça de Cristo em lugar da sua, um pré-requisito fundamental para todos os que quiserem adorar verdadeiramente a Deus, no presente e no futuro.

terça-feira, 3 de maio de 2016

O grupo vitorioso de adoradores

A espiritualidade pós-moderna, com seu discurso conciliatório e globalista, não é outra coisa senão uma reedição maquiada do velho paganismo. Por esta razão, constitui a maior ameaça à igreja remanescente no fim dos tempos, da mesma forma que o culto idolátrico pagão das nações ao redor do antigo Israel representava a mais evidente ameaça à sua identidade como povo de Deus. O Apocalipse revela que a adoração estará no centro do último grande drama, e que só poderão prevalecer sobre o poder sedutor do engano aqueles que estiverem intimamente unidos a Cristo e à Sua Palavra (Apocalipse 1:9; 3:8; 6:9; 20:4). Por isso, João pinta em cores muito vivas o contraste que deve existir entre os verdadeiros e os falsos adoradores.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

A verdadeira e a falsa adoração

A ênfase intencional nos atributos criadores de Deus presente no juramento do Anjo forte de Apocalipse 10:5-6 sinaliza à igreja do tempo do fim que a adoração estará no centro da última grande controvérsia. Naturalmente, apenas o Deus Criador é digno de receber adoração, mas o inimigo da verdade pretende usurpar essa prerrogativa divina mediante um sistema paralelo de culto. Ao revelar os muitos contrastes entre a verdadeira e a falsa adoração, o Apocalipse nos fornece informações preciosas para permanecermos fiéis a Deus e não ser seduzidos pelos apelos da religião popular.

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Adoração: o foco do último grande engano

À luz da exortação de Cristo contra o engano nos últimos dias (Mateus 24:4), terminamos nossa postagem anterior com três importantes questões em mente: Em que área Satanás concentrará sua atenção, esperando, assim, lograr êxito contra o povo de Deus? É possível que seu objetivo não seja inicialmente destruir a fé da igreja, mas danificá-la, sabotá-la, de modo que seus membros imaginem ser ainda seguidores de Cristo, quando na verdade já pertencem a outro partido? Qual a importância das três mensagens angélicas neste contexto?

quarta-feira, 13 de abril de 2016

O maior perigo em tempos de crise

O Apocalipse é claramente centrado em Jesus Cristo. Sua mensagem profética é uma revelação de Cristo, e tem como Personagem chave o próprio Salvador. Como um livro cristocêntrico no mais alto grau, o Apocalipse não se limita a predizer acontecimentos futuros de interesse da igreja, mas, sobretudo, prepará-la para crise final que ela deverá enfrentar. Sua maior preocupação é, portanto, pastoral, e inclui, entre outros objetivos, exortar e alertar a igreja contra os enganos e falsas crenças que terão lugar no mundo pouco antes do retorno de nosso Redentor.

quinta-feira, 7 de abril de 2016

Agora - Sempre Agora!

Por Ellen G. White

Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir. Mat. 25:13

A vinda de Cristo será por assim dizer à meia-noite, quando todos estão dormindo. É bom que cada um endireite todas as suas contas antes do pôr-do-sol. Todos os seus trabalhos devem estar em ordem, corretas todas as transações entre ele e seus semelhantes. Toda desonestidade, todas as práticas pecaminosas devem ser afastadas para bem longe. ... O óleo da graça deve estar em nossos vasos e em nossas lâmpadas. ... Verdadeiramente deplorável será a condição da pessoa que teve uma forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder; que chamou a Cristo de Senhor, Senhor, não tendo, porém, Sua imagem e inscrição. ...

sábado, 2 de abril de 2016

Sobre a observância do sábado

Um artigo publicado no The Catholic Record, em sua edição de 1º de setembro de 1923, e intitulado "Sabbath Observance", apresenta uma interessante discussão sobre o tema envolvendo católicos e protestantes. Do texto original, reproduzimos os seguintes parágrafos:

sábado, 26 de março de 2016

A mensagem de Cristo a Laodiceia

O solene chamado divino para abandonar Babilônia e seu falso modelo de adoração (Apocalipse 18:4) e unir-se a Cristo e Sua igreja remanescente (14:12) é uma das mais expressivas demonstrações do quanto Deus se importa conosco. Antes do fim da graça, o mundo será esclarecido no tocante às falsas reivindicações da apostasia organizada, e os filhos de Deus serão exortados a sair de Babilônia para não partilharem de sua triste sorte (Apocalipse 14:8; 18:5-8). Esta mensagem, porém, estaria incompleta se não considerássemos a repreensão de Cristo à igreja de Laodiceia (Apocalipse 3:14-22). As mensagens dos três anjos tiram as pessoas de Babilônia e as conduzem para Cristo e Sua igreja; a mensagem de Laodiceia tira a Babilônia de dentro da igreja. Negligenciar esta última significa fazer apenas metade do trabalho.

sexta-feira, 18 de março de 2016

O redescobrimento do paganismo e a estratégia da desinformação

Entre os sinais que indicam a proximidade da volta de Jesus, o redescobrimento dos antigos mistérios como parte do despertar religioso contemporâneo é um dos mais representativos. Ao chamar o clímax da apostasia no fim dos tempos de Babilônia, o Apocalipse não somente antecipa um fenômeno de dimensão institucional - a união das igrejas e sua influência no poder civil -, mas também conceitual, na medida em que abrange uma tentativa muitas vezes deliberada de resgatar certos aspectos das tradições religiosas provenientes da cultura babilônica e de suas congêneres do passado.

terça-feira, 15 de março de 2016

Apocalipse 14 e a Segunda Vinda de Cristo

A certeza do retorno de Jesus tem animado e fortalecido o povo de Deus ao longo de gerações. Paulo se referiu a este faustoso acontecimento como a "bendita esperança" (Tito 2:13), e João, em resposta à garantia de nosso Salvador de que voltaria em breve, exclamou: "Vem, Senhor Jesus!" (Apocalipse 22:20). De cada onze versículos do Novo Testamento, um se refere à volta de Cristo, e, segundo Dwight Moody, há cerca de 2.500 referências em toda a Bíblia. O bem-aventurado regresso de nosso Redentor é, sem dúvida, o evento mais importante nas Escrituras, sobretudo no Apocalipse.

quinta-feira, 3 de março de 2016

Preparação para o Segundo Advento

Por Gerard Damsteegt*

Os adventistas do sétimo dia estão confiantes sobre o retorno de Jesus. Ele virá em breve.

No entanto, para a maioria de nós, esta "bendita esperança" tem pouquíssimo impacto em nosso dia-a-dia. Nossas vidas são preenchidas com a rotina diária, empregos, planos, projetos e aspirações, numa tentativa árdua de realizar nossos sonhos para o futuro.

sábado, 27 de fevereiro de 2016

O protestantismo e o sábado

Em sua edição de 12 de junho de 1897, o Catholic Mirror relata um discurso do padre O'Keefe em que acusa os protestantes de serem incoerentes com o seu princípio de "a Bíblia, e a Bíblia só". Ele apresenta um resumo conclusivo de uma série de palestras em resposta a alguns sermões proferidos por um pastor de Baltimore, o qual manteve a doutrina protestante de que a Bíblia é a toda-suficiente regra de fé e prática. O'Keefe, ao contrário, mantém, de acordo com a perspectiva católica estabelecida, que a Bíblia não é uma regra suficiente de fé cristã, mas deve ser suprida a apoiada pelas tradições, interpretações e autoridade da Igreja Católica.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

A terceira mensagem angélica - Conclusão

A advertência de Deus por meio da terceira mensagem angélica (Apocalipse 14:9-12) tem em vista os que se recusarem a atender ao último chamado divino na voz do primeiro anjo (versos 6 e 7) e decidirem tributar sua adoração e lealdade à besta e sua imagem, recebendo a marca distintiva da apostasia (13:16-17). Não obstante, esta advertência solene é dirigida também a cada seguidor de Jesus no sentido de animá-lo a permanecer firme diante das ameaças do anticristo (Apocalipse 14:12). A firmeza de caráter é produto da verdadeira fé, a qual não pode ser abalada por qualquer crise (Hebreus 4:14; Tiago 5:11). Mais do que compreender a mensagem divina, a união com Cristo é fundamental para se desenvolver semelhante determinação (I João 2:5; 4:18).

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

A perseverança dos santos

Apocalipse 14:12 resume o princípio que orienta a tríplice mensagem angélica e o resultado final de sua proclamação: um povo que persevera na obediência aos mandamentos de Deus e na fé em Jesus. Esta é a experiência que caracteriza o remanescente fiel nos últimos dias. Significativamente, o apóstolo João menciona primeiro o resultado da animosa persistência dos santos - a obediência à lei de Deus - e depois sua causa essencial - a fé em Jesus. Num tempo em que a besta e sua imagem induzem o mundo à ilegalidade e a uma falsa fé, os santos se distinguem pela verdadeira fé em Jesus, a qual é inquestionavelmente demonstrada por sua obediência à lei de Deus. Nisto consiste o foco do conflito final entre a verdade e o erro.

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Eu quero minha igreja de volta!

O título que abre a postagem de hoje é de uma célebre palestra de C.D. Brooks, famoso evangelista adventista jubilado, fundador do programa televisivo Breath of Life. Apresentada a ministros adventistas, a mensagem do Pastor Brooks disparou um sinal de alerta em face das ameaças da onda liberalizante que tem secularizado a igreja, comprometendo sua identidade e missão. Ele insiste para que voltemos às nossas raízes, se desejamos de fato cooperar com Deus para cumprir a grandiosa obra que nos foi confiada.

Postagem em destaque

O sábado: base da verdadeira adoração

O sábado é uma verdade essencial dentro do apelo do primeiro anjo para adorar a Deus (Apocalipse 14:7), pois oferece o fundamento e as ra...

Postagens Populares

Arquivo do Blog

Curta nossa Página no Facebook

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto

Leitor voraz. Alguém que gosta de escrever. Cristão protestante de nascimento, apaixonado pelas profecias bíblicas.

Receba postagens por e-mail

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Total de visualizações

Permitida a reprodução, desde que sejam mantidos os créditos do autor. Tecnologia do Blogger.